Os “manchetistas”: uma visão sobre ativistas políticos digitais, sobre nós

Sei que o termo não existe, mas quero usar de toda a licença poética que podemos adotar para vincular essa palavra ao que vivemos hoje em nosso país.

Como é sabido por todos, estamos no centro de uma crise político-democrática, moral, ética e etc. De um lado “coxinhas”. Do outro, “petralhas”. E, ainda, sob um muro, os que se dizem imparciais a tudo e lutam contra a crise e todos os seus protagonistas e antagonistas.

Esses personagens, coxinhas, petralhas e imparciais vem me deixando atônitos nesses últimos dias. Confesso que não sei como retiro pensamentos organizados para vos escrever. Isso porque, eles protagonizam batalhas épicas nas redes sociais. Suas armas são os enunciados. Manchetes variadas e de acordo com sua tendência partidária. Na maioria das vezes, falsas. Criadas apenas para moldar a pobre mente dessas personas digitais.

Continue lendo aqui

 

Como estudar em tempos de crise?

midia-indoor-dinheiro-economia-negocio-poupar-poupanca-moeda-orcamento-custo-credito-financiamento-imobiliario-imovel-compra-comprar-casa-deposito-banco-financas-financeiro-1272899844076_956x500A crise atual em que nosso país se encontra nos faz refletir onde, quando e como investir. São questões, que se não pensadas corretamente, nos levam a uma decisão equivocada e a perda de dinheiro. A crise faz com que coloquemos o pé no freio literalmente.

Mas onde podemos investir nesses tempos? A resposta pode ser simples. No entanto, a pergunta é errada. Não devemos perguntar onde investir, mas como aproveitar o momento e obter ganhos para o futuro. Esse é o “X” da questão.

Um das formas de fazer isso é bem clara. Aproveitar ao máximo as promoções. Outra resposta bem coerente é se qualificar. Isso mesmo? Eis o tempo de qualificação.

Quando o mercado entra em crise vem com ele desemprego. Os primeiros a cair são aqueles que não tem qualificação. Essa lógica entra na máxima de se fazer útil.  Aquele que é útil não é desprezado. Junto a isso, há também as contrações de pessoas qualificadas para resolverem problemas pontuais relacionados ao momento. Ter qualificação nessa época é garantia de empregabilidade e sobrevivência.

Mas se não tenho qualificação, por que devo buscar uma? E justo agora com a crise?

Meu jovem Padawan,vocês não sabe de nada. Crises vão e voltam. E além disso, empresas precisam sobreviver e agora que fazem muitas, muitas, mas muitas mesmo, promoções. Além de tudo isso, conhecimento é algo que ninguém pega de você, nem mesmo uma crise.

Aproveitar as condições deixadas pelas empresas são essenciais. Olhe só. Uma faculdade da minha região (Eis aqui o site deles para quem quiser saber mais) está dando 50% de desconto no semestre para quem entrar na faculdade agora. O que isso significa? Para os que olhos não tem, nada. Mas para você muito. A oportunidade de começar uma faculdade.

economia-brasileira

Imagina se seu curso escolhido custar R$ 1000, 00 a mensalidade. Isso significa que o semestre lhe custará R$ 6000,00. Com esse desconto, você economiza R$ 3000,00 reais que podem ser investidos em poupança para o próximo semestre ou outro curso de qualificação.

Para economizar mais ainda, você pode usar uma dessas financiadoras sem juro. Quase toda  faculdade tem. Em épocas comuns, creio que o maior desconto que você teria era de 15% na matrícula.

Com a qualificação vem um melhor currículo e uma melhor colocação no mercado. Pense nisso. Pesquise. E aproveite enquanto há tempo.

Tem outras formas de economizar para estudar? Diga-nos nos comentários.

Por Marquione Ban