Estatuto do Homem

O caráter fidedigno do pensamento humanista de Thiago Melo nos traz esperança de realizarmos uma utopia. Ser livre. Para Platão os signos são arbitrários. Usando desse pensamento póstumo a palavra liberdade nada mais é que uma grande prisão que a humanidade inventou. O ultimo artigo desse Estatuto deve ser visto como a possibilidade de liberdade na sua real significância: “liberteza” da liberdade.

Marquione Ban

Anúncios

Quem tem medo do Lobo Mau?

O homem é o lobo do homem.

O homem é o lobo do homem.

Pela estrada afora… Vamos bem sozinhos… Levar “ferro” na casa da Vovozinha. Todos de manhã… Bem… cedinho vestem seu uniformezinho e vão – Não tente cantar, pois a rima é horrível.

 É uma narrativa bem chata, porém demonstra nossa realidade diária e rotineira de irmos trabalhar. Agora você deve estar se perguntando: e o Lobo Mau? Onde ele entra nessa historia? Meus caros, a resposta é a mais simples possível. Lembro-lhes o ensinamento da mamãe: não passe por atalhos e cuidado com o “Seu Lobo”. Prepare-se e vamos viajar pelo conto diário da (dos) Chapeuzinho Vermelho.

Ladeados pela insana mãe que nos manda levar doces a Vovó, saímos diariamente de nossas casas para sermos explorados pelas vovós – Afinal, o que Chapeuzinho ia fazer na casa da vovó, se não trabalhar? Essa mãe que hoje possui o nome de NECESSIDADE, nós faz submeter às condições dos Lobos – empresas – em que trabalhamos.

Ter medo do Lobo Mau é característica imprescindível para continuarmos a trabalhar em Sistemas, Prefeituras e até na venda do “Seu Zé”. Desrespeite a dica do Lobo e vá pro olho da rua. Para se manter é preciso sempre ir pelo caminho que o Lobo indica.

Ser caçador é ser anárquico e desempregado. Não podemos exercer esse papel na sociedade que está acostumada ao lema da Ordem como maneira de manter-se estável e sempre com a (as) NECESSIDADE (necessidades) atendida. Nesse conto atual – hodierno – não há espaço para caçadores – seja de liberdade ou de problemas.

Assim como Thomas Hobbes defendia o uso da ordem e da religião para retirar o homem de seu estado de natureza – para ele brutal e anárquico – vivemos nesse faz de conta onde colocamos nosso chapeuzinho vermelho, cinza, roxo, verde, amarelo, laranja, enfim de todas as cores possíveis e não trocamos enquanto a mãe NECESSIDADE existir.

Somos lobos de nós mesmos. Sempre indicando caminhos a outros lobos que fazemos acreditar serem porquinhos, menininhas indefesas e outras tantas figuras inferiores e ausentes de poder.

Quem tem medo do Lobo Mau? Lobo Mau. Lobo Mau. Lobo Mau………………… Eu tenho, mas queria ser caçador.

 

 

Marquione Ban